DESTAQUES

Servidores da SAFTEC cobram mudança para o MCT

DSC_0383Fotos: João Ubaldo

 

Em protesto realizado na manhã desta segunda-feira (4) na Secretaria da Saúde (Sesab/CAB), os servidores da Superintendência de Assistência Farmacêutica de Ciência e Tecnologia em Saúde (SAFTEC), em reunião dirigida pelo Sindsaúde-Ba, cobraram da gestão agilidade na transferência do setor para o Museu de Ciência e Tecnologia (MCT), no Imbuí. Trabalhando em instalações precárias desde o incêndio ocorrido em 2014, no antigo prédio da Secretaria de Justiça e Direitos Humanos, os servidores estão expostos a riscos e estresse.

DSC_0416Os trabalhadores deixaram claro a sua indignação pela morosidade na transferência de setor, já que o espaço encontra-se em condições precárias de trabalho e oferece novo risco de incêndio. Além disso, eles estão convivendo diariamente com os transtornos causados pela obra que está sendo realizada no primeiro andar do prédio, convivendo com muita poeira e ruídos, situação considerada como insustentável e inaceitável pelos servidores.

DSC_0413Em função da mobilização, o chefe de gabinete Luiz Henrique Gonzales d’Utra, o superintendente da SAFTEC, Luiz Cláudio Guimarães, e o assessor especial Nadson Oliveira receberam uma comissão formada pela vice-pesidente do Sindsaúde, Tereza Deiró, a diretora Maria Leonor Carvalho e servidores. No encontro foi entregue ofício da entidade, dirigido ao secretário Fábio Vilas-Boas, exigindo um posicionamento urgente sobre a transferência para o MCT.

Tereza Deiró resumiu o movimento, iniciado em julho pelo Sindsaúde, defendendo a transferência de todos os setores lotados no prédio atingido pelo incêndio para um ambiente digno de trabalho. Lembrou que o cronograma inicial de mudanças não foi cumprido pela gestão, o que levou à definição do dia 30 de novembro como prazo máximo para uma resposta satisfatória, o que também não foi respeitado.

DSC_0408Indignados com o descaso os servidores decidiram continuar mobilizados e deixaram claro que a categoria não aceitará retroceder no processo de transferência para as novas instalações. Eles ressaltaram também que não aceitará a realização de enquetes pela Sesab, como forma de pressão.

A gestão da Sesab se comprometeu em apresentar um calendário de mudança na manhã desta quarta-feira (6/12). Eles também afirmaram que vão solicitar um novo laudo ao Corpo de Bombeiros, sobre o risco de incêndio no local, mesmo os laudos anteriores emitidos pela Defesa Civil já terem demonstrado condições insalubrecom risco de novo acidente.

 

 

Ofício

 

Eis, na íntegra, o documento enviado ao secretário nesta segunda-feira (4):

 

 

Ilmo Sr Secretário da Saúde do Estado da Bahia

Dr Fábio Villas Boas

C/C  Dr Luiz Henrique Gonzales d’Utra

 Chefe de Gabinete da Secretaria

 

Prezado Secretário

 

Os trabalhadores(as) lotados na Superintendência da Atenção Farmacêutica Ciência e Tecnologia – SAFTEC, junto ao Sindsaúde-Ba, vêm solicitar a V. Exa, providências urgentes no sentido da transferência desses trabalhadores para local que ofereça segurança e condições dignas de trabalho. Ressaltamos que no início do mês em curso foi acordado com o assessor especial, Dr Diego Alvarez (ainda no cargo àquela data), que o prazo limite para a mudança dos servidores para o Museu de Ciências e Tecnologia (MCT), após finalização das adequações, seria dia 30/11.

Enviamos documento para V. Exa, com cópia para o Dr Diego, comunicando que faríamos Assembleia na mesma data, sendo o prazo para a SESAB efetuar a transferência do pessoal 29/11. Entretanto, a SESAB em nada avançou quanto ao acordado. Em reunião com os trabalhadores(as) na data mencionada, foram feitas denúncias de que alguns gestores da SAFTEC estariam fazendo “enquete” para que os trabalhadores manifestassem a vontade de mudar ou não. Os Trabalhadores(as) entendem que  esse tipo de atitude se constitui em forma de pressão por tratar-se de suas chefias. Dessa forma decidiram, em reunião, que não aceitarão “enquetes”, nem outras formas de pressão, tendo em vista o risco a que continuam expostos (no mínimo de um novo incêndio), como é do conhecimento de V. Exa.

Os trabalhadores(as) também expressam o sentimento de descaso da gestão para com a gravidade da situação. Ressaltamos que não se trata, ainda, de prevenção pela realização da reforma total do prédio, cujo Edital e outros trâmites já sabemos encontrar-se em andamento, e sim pelo mesmo risco que ocasionou o incêndio em novembro de 2014. A reforma do prédio será muito bem-vinda, sem que nenhum trabalhador  esteja ocupando aqueles espaços, colocando suas vidas em risco.

Necessário se faz que o secretário estabeleça algum diálogo com os trabalhadores e a entidade que lhes representa. Lembramos, quando da ocorrência do incêndio, que a Secretaria de Justiça e Direitos Humanos evacuou o prédio incendiado e colocou todos os seus trabalhadores em locais muito bons, dignos e com segurança.

Diante do exposto, acrescentamos que a interlocução com o Dr Luiz Henrique, ou outro assessor de V. Exa, seja sempre no sentido de não permitir que os trabalhadores(as) da SAFTEC, SUREGS e Auditoria, permaneçam no  prédio, que não oferece os mínimos requisitos de prevenção de sinistro ou outros danos – já são inúmeros os computadores danificados por sobrecarga elétrica, água que sai de tubulações elétricas, barulho causado por obras no primeiro andar, etc. Uma nova assembleia será realizada no dia 04/12 para decisões conjuntas.

Assim, solicitamos de V.Exa. audiência no sentido de tratarmos, junto com uma comissão de trabalhadores(as), as questões em pauta. Dignidade, respeito e segurança é o que os trabalhadores(as) merecem e exigem.

No aguardo de vosso pronunciamento, renovamos nossa estima e consideração.

Tereza Cristina Bomfim de Jesus Deiró

(Vice-presidente do Sindsaúde)

Compartilhe!

Os comentários estão encerrados.