DESTAQUES

Presidente do Sindsaúde se reúne com secretário de saúde de Ilhéus

A presidente do Sindsaúde-Ba Ivanilda Brito e a diretora Diala Magalhães se reuniram com o secretário de saúde de Ilhéus Geraldo Magela com objetivo de dialogar sobre a situação dos servidores da Sesab municipalizados que tiveram o auxílio-transporte e auxílio-alimentação suprimidos do contracheque pelo governo.

O secretário Geraldo Magela informou que o jurídico da Sesab junto com o jurídico e a gestão municipal estão tratando desta questão com reuniões constantes. Espera-se que a situação seja resolvida em breve, levando em consideração que, por imposição do estado, o município passa a ser responsável pelo pagamento destes benefícios aos trabalhadores municipalizados.

 

A presidente do Sindsaúde questionou sobre o quantitativo de trabalhadores que deverão receber o beneficio através da prefeitura de acordo com o número de servidores municipalizados que passaram a não receber o auxílio-transporte e o auxílio-alimentação. Segundo o secretário, serão entre 10 a 15 servidores. A presidente Ivanilda se surpreendeu com esta informação, pois este número corresponde a menos de 10% do total de trabalhadores disponibilizados para o município.

 

Diante desse quantitativo apresentado, a presidente Ivanilda Brito e a diretora Diala Magalhães, sugeriram ao secretário Magela realizar um levantamento do número de trabalhadores que foram municipalizados, local de lotação e carga horaria com o objetivo de verificar quantos estarão sendo beneficiados. Através de informação da própria SESAB, o numero de servidores lotados no município chega a quase 200 servidores atualmente, número a confirmar.

O secretário Magela informou ainda que estará devolvendo à Sesab alguns profissionais que não são absorvidos pelo quadro da secretaria de saúde , por não existir serviços de radiologia, laboratório e alguns outros profissionais por não ter onde alocar.

 

O que podemos observar é um grande descanso do governo com os servidores da saúde. Desde 201 estamos vivendo na corda bamba, sendo surpreendidos  (as) com cortes na remuneração. Muito há de ser feito para avançar, pois grandes são os prejuízos acumulados nos últimos quatro anos. Ações judiciais com determinação de pagamento não atendida pelo governo, secretário de saúde que não recebe a representação do sindicato e falta de uma mesa de negociação.

O Sindsaúde, juntamente com o Sinpojud, Aplb sindicato e Sintest estão se organizando para lutar pelos nossos direitos, com o mesmo objetivo de traçar estratégias de luta com as categorias.

Dia 12 de março, às 16 h, será realizada a assembleia geral dos servidores da saúde, na Associação dos Funcionários Públicos do Estado da Bahia – AFPEB, na Carlos Gomes. Esperamos todos vocês para deliberamos juntos os rumos da nossa luta!

Compartilhe!

Os comentários estão encerrados.