DESTAQUES

Sindsaúde-Ba promove Roda de Conversa com servidores do Iperba

Fotos: João Ubaldo

A maternidade Iperba foi a primeira unidade a receber o projeto Roda de Conversa, ação  desenvolvida pelo Sindsaúde-Ba, que reuniu servidores e diretores da entidade, nesta quinta-feira (2/8). A presidente Ivanilda Brito explicou que o encontro, que será realizado em outras unidades, tem o objetivo de escutar os trabalhadores da saúde sobre condições de trabalho e demandas na unidade, que muitas vezes demoram de serem resolvidas. A Roda de Conversa também tem o propósito de reaproximar os servidores e construir uma grande mobilização para a intensificação da luta por reajuste salarial e garantia de outros  direitos.

Durante o encontro,  houve muitos relatos em relação ao déficit de pessoal, que vem sobrecarregando os profissionais da enfermagem e causando adoecimento. O Iperba é uma maternidade que vem tendo dificuldades para atender a alta demanda de pacientes em decorrência da redução de leitos de obstetrícia no Estado, a exemplo do processo de fechamento para reforma da maternidade João Batista Caribé e a instabilidade de funcionamento da Maternidade José Maria de Magalhães Neto.
Foi relatado pelos servidores que, por contra da sobrecarga de trabalho, eles não têm disponibilidade de horário para terem acesso ao Serviço Integrado de Atenção à Saúde do Trabalhador (SIAST), o que vem contribuído para o aumento de adoecimento da categoria.

Estrutura física

Os servidores  aproveitaram para relatar sobre as condições em que se encontram as estrutura física de alguns setores da unidade, a exemplo do espaço de descanso dos profissionais da enfermagem, que não possui ar-condicionado e apresenta mofo e infiltrações, bem como os buracos no piso do ambulatório do hospital.
Os profissionais do Centro de Materiais de Material Esterilizado (CME) se queixaram da falta de um sanitário no setor, o que causa grande transtorno aos profissionais quando da necessidade precisam se deslocar para outros setores distantes.
Foram apontados os móveis que se encontram inadequados para uso dos servidores o que vem causando adoecimento, pelas condições inadequadas do mobiliário para acompanhantes dos pacientes e para os próprios trabalhadores. Os servidores relataram que se sentem desprotegidos devido à falta de segurança, o que torna o plantão estressante. Outro ponto importante relatado foi o horário de funcionamento do Banco de Leite que não funciona à noite e nem nos fins de semana.

Ao término da atividade, após ouvir os trabalhadores, todos os diretores presentes se posicionaram diante dos fatos relatados.  A presidente Ivanilda Brito explicou aos trabalhadores que está elaborando um relatório contendo todas as queixas dos trabalhadores que será encaminhado à diretoria da maternidade, para sejam tomadas as medidas  possíveis de resolutividade. O documento também será encaminhado para a Sesab.
Ivanilda informou que pretende organizar uma atividade com palestra motivacional para os servidores do hospital, a fim de melhorar a auto-estima dos profissionais. Também participaram da Roda de Conversa os diretores Edson Leite, Dijalma Rossi, Laura Almeida, Natalicia Silva, Maria Leonor Carvalho e Jorge da Silva.Em breve estaremos divulgando a agenda das próximas Rodas de Conversa promovida pelo Sindsaúde.

Compartilhe!

Os comentários estão encerrados.