OUTRAS NOTÍCIAS

Revista Mulher de Classe é lançada na Bahia

Fonte: CTB Bahia

A Secretaria de Mulheres da CTB Bahia lançou na ultima sexta-feira (13) a 8º edição da revista Mulher de Classe. A edição aborda temas como a participação feminina na política; reflexos da reforma trabalhista na vida das mulheres, e em destaque o cruel assassinado da vereadora Mariele Franco.

Para a secretaria secretária da Mulher da CTB Bahia, Marilene Betros, o lançamento na Bahia foi vitorioso. “Foi um encontro rico de informações, debatemos a valorização do trabalho e oportunidades iguais para mulheres e homens, pois não á mais lugar para o machismo e para a desigualdade de gêneros”, ressalta.

O evento contou com a participação de secretária da Mulher Trabalhadora da CTB Nacional, Celina Arêas, além de reunir representantes de entidades dos movimentos sociais, sindical e da política. “A revista é de suma importância pois ela mostra  as várias lutas ligadas à questão das mulheres trabalhadoras e a busca pela igualdade de gênero, um instrumento a serviço da classe trabalhadora para informar e ajudar a debater e compreender os temas polêmicos da atualidade”, enfatiza Celina.

A presidenta interina da CTB Bahia, Rosa de Souza, destacou o papel da Central na defesa das mulheres. “O nosso papel é mobilizar e organizar as trabalhadoras e os trabalhadores, a juventude, as entidades sindicais e demais segmentos sociais para o grande desafio que é superar essa situação de violência, de intolerância, machismo e preconceito que tem causado dor e sofrimento para as mulheres do nosso país” afirma.

O encontro prestou também uma homenagem às mulheres que se destacaram na década de 80 para 90, na política, no movimento sindical e para sociedade. “Estamos homenageando todas as mulheres guerreiras que se destacaram nesse período da década de oitenta e noventa, em especial as mulheres rurais que vem desempenhado um papel importantíssimo para a agricultura familiar,  lutam incansavelmente para alimentar suas famílias e tantas outras, resistindo ao patriarcado e ao machismo, que ainda assolam a vida de muitas mulheres”, ressalta Rosa.

Compartilhe!

Os comentários estão encerrados.